quarta-feira, 30 de maio de 2012

Peter Carl Fabergé é homenageado pelo Google

Peter Carl Fabergé, 1900
Peter Carl Fabergé, nome original Karl Fabergé Gustavovich (30 de Maio de 1846, São Petersburgo, Rússia - 24 de Setembro de 1920, Suíça) foi um dos maiores ourives, joalheiros e designers em artes decorativas.

Casa Fabergé
Descendente de huguenotes, Fabergé foi educado na Alemanha, Itália, França e Inglaterra. O seu pai estabeleceu-se em São Petersburgo como joalheiro. Peter Carl continuou a tradição, após herdar os negócios da família em 1870. A sua oficina ficou famosa rapidamente, pelas obras primas e engenhosas: flores, animais, grupos de figuras e principalmente pelos luxuosos e engenhosos Ovos de Páscoa Imperiais.  O  primeiro dos ovos foi encomendado por Alexandre III em 1884, para oferecer à sua esposa. Nos anos seguintes a casa Fabergé passou a realizar ovos cada vez mais elaborados, o czar só punha uma única condição, era que cada ovo contivesse uma surpresa. Em 1885, o czar Alexandre III deu à Casa de Fabergé o título "Ourives por nomeação especial para a Coroa Imperial". O sucessor de Alexandre III, o czar Nicolau II, ordenou a realização de  dois ovos a cada ano, um para sua mãe e outro para a sua esposa. A tradição continuou até à Revolução de Outubro, quando a empresa foi assumida por um "comité dos funcionários da Empresa K Fabergé". Em 1918, a Casa de Fabergé foi nacionalizada pelos bolcheviques. Peter Carl Fabergé nunca recuperou deste choque. Morreu na Suíça, no exílio em 24 de Setembro de 1920.

  OVO DE GALINHA - primeiro Ovo de Páscoa Imperial: oferecido pelo Imperador Alexandre III à mulher, a Imperatriz Maria Feodorovna na Páscoa de 1885 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial
  OVO RENAISSANCE - Ovo de Páscoa Imperial: oferecido pelo Imperador Alexandre III à mulher, a Imperatriz Maria Feodorovna na Páscoa de 1894 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial


OVO RENAISSANCE



  OVO ROSEBUD - Ovo de Páscoa Imperial: oferecidodo pelo Imperador Nicolau II à sua mulher, a Imperatriz Alexandra Feodorovna na Páscoa de 1895 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial
 OVO ROSEBUD- o ovo aberto para revelar o interior forrado de veludo com um botão de rosa com pétalas articuladas em esmalte amarelo e com folhas de esmalte verde - Casa Fabergé


CORAÇÃO SURPRESA -  Ovo de Páscoa com esmalte: oferecidodo pelo Imperador Nicolau II à sua mãe o Imperatriz Maria Feodorovna na Páscoa de 1897 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial
O coração abre-se para revelar um trevo em esmalte verde, cada folha tem uma miniatura com Nicolau II,  Alexandra Feodorovna e a grã-duquesa Olga Nikolaievna.
























OVO DA COROAÇÇÃO - Ovo de Páscoa Imperial, oferecido pelo Imperador Nicolau II à sua mulher,  a Imperatriz Alexandra Feodorovna, na Páscoa de 1897 - Casa Fabergé
Ovo da Coroação

























OVO LÍRIOS DO VALE - Ovo de Páscoa Imperial: oferecido pelo Imperador Nicolau II  à sua mulher, a Imperatriz Alexandra Feodorovna na Páscoa 1898 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial

O ovo abre-se para revelar três miniaturas do retrato do czar Nicolau II, e dos filhos de Nicolau e Alexandra, Grand duquesas Olga e Tatiana.
OVO DO GALO (CUCO) -  Ovo de Páscoa Imperial: oferecido pelo Imperador Nicolau II à sua mãe a Imperatriz Maria Feodorovna na Páscoa de 1900 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial
O ovo abre-se para revelar  um pássaro a cantar sobe uma plataforma em ouro, movendo as suas asas e  o bico. Quando o canto termina ele desce novamente para o ovo e a grelha fecha.


OVO A ÁRVORE DA BAÍAOvo de Páscoa Imperial, oferecido pelo Imperador Nicolau II à sua mãe a Imperatriz Maria Feodorovna na Páscoa de 1911- Fabergé Tesouros da Rússia Imperial
O ovo abre-se para revelar na parte superior da árvore um pássaro que bate as asas, vira a cabeça, abre o bico e canta.























O OVO DA COROAÇÃO (15º aniversário) - Ovo de Páscoa Imperial, oferecido pelo Imperador Nicolau II a sua mulher a Imperatriz Alexandra Feodorovna na Páscoa de 1911 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial
As miniaturas dos retratos representam:
 - Sua Majestade o Imperador
 - Sua Majestade a Imperatriz
 - Sua Alteza o herdeiro Tsarevich
 - As Grã-Duquesas: Olga Nikolaievna, Tatiana Nikolaievna,
 - Maria Nikolaievna, Anastasia Nikolaievna
 - A Procissão na Catedral da Dormição
 - A Coroação Santo de Suas Majestades
 - O discurso do Imperador do Trono
 - Tradução da relíquia de São Serafim de Sarov
 - O Palácio da Paz em Haia
 - O imperador Alexandre III Museu
 - O imperador Alexandre III Ponte em Paris
 - A inauguração do monumento a Pedro I, em Riga
 - As Festas Poltava (grave sueco)
 - Dois medalhões com datas de 1894 e 1911 16.600
 OVO DA ORDEM DE ST. GEORGE - Ovo de Páscoa Imperial, oferecido pelo Imperador Nicolau II à sua mãe a Imperatriz Maria Feodorovna na Páscoa de 1916 - Fabergé Tesouros da Rússia Imperial

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Biografia do pintor Carl Larsson

Retrato de Carl Larsson - Charlotte e Fiell, Peter, (2000), Design do século XX. Taschen

 
Dia 28 de Maio (aqui)


Carl Larsson (Estocolmo, 28 de Maio de 1853 – Falun, 22 de Janeiro de 1919) foi um importante pintor do realismo na Suécia do século XIX e designer de interiores.  

Larsson estudou na Academia de Artes de Estocolmo, onde posteriormente teve aulas de arte clássica e de desenho com modelo. Durante os seus anos de estudante, trabalhou para o jornal Kasper e realizou grafismos para a revista Ny Illustread Tidning. Mudou-se para Paris em 1877 e em 1882, instalou-se numa colónia de artistas suecos em Grez. Aqui, realizou estudos de luz e ambiente, abandonou a pintura a óleo e pintou aguarelas com realismo poético e qualidade narrativa. Conheceu a artista sueca Karin Bergöö (1859-1928) com quem casou em 1883, tiveram oito filhos (um dos filhos faleceu ainda bébe).  Nos anos 1880, Larsson juntou-se ao grupo de arte sueco Opponents, nesse ano começou a trabalhar  como ilustrador.
 
A Ponte (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Estudo anatómico das pernas do cavalo, grafite sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Casa de Campo (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Fazenda Interior, grafite sobre papel, 1885 - Museu Nacional de Estocolmo
O pai de Karin, Adolf Bergöö, deu a casa Lilla Hyttnäs a Carl e Karin em 1888. O minúsculo chalé de madeira, que foi construído em 1837, tornou-se na residência e no centro artístico do pintor e da sua família - manteve-se na família Larsson ao longo das gerações sendo agora administrada pelos seus descendentes. Karin e Carl, decoraram os interiores num estilo folk simples – pintura em branco, mobiliário desmontável, chão de madeira, tecidos bordados – que iam adaptando ás necessidades da família. Carl retratava a vida diária dos seus sete filhos em aguarelas. Os seus estudos foram reproduzidos no livro Ett Hem (A Nossa Casa) colecção de 26 aguarelas, em 1899.  No  livro Larssons (Os Larssons) de 1902 encontram-se 32 aguarelas e 31 no seu livro Åt Solsidan (O Lado Ensolarado). Através das ilustrações destes livros, a casa dos Larssons tornou-se uma das casas mais famosas do mundo. O gosto artístico dos seus criadores, tornaram a casa numa importante influência na linha do design de interior sueco para as gerações seguintes.
 
Quatro cabeças de crianças, grafite, caneta e tinta preta, sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Matts Larsson, aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Esposa do artista com a sua filha, pastel, 1885 - Museu Nacional de Estocolmo
Quarto do papai (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
No Canto (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Lisbeth lendo (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela, carvão vegetal e têmpera, sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Flores sobre o parapeito da janela, (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
A cozinha (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Estúdio do artista (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Brita é Iduna, litografia, 1901 - Colecção particular
Véspera de Natal, ( livro Åt Solsidan (O Lado Ensolarado), aguarela, 1904-1905 - Museu Nacional de Estocolmo
Entre o Natal e Ano Novo, (livro A Nossa Casa, 26 aguarelas), aguarela sobre papel - Museu Nacional de Estocolmo
Manhã de Natal, óleo, 1894 - Colecção particular
Carl Larsson considerou as suas obras monumentais, como os afrescos nas escolas, museus e outros edifícios públicos, as suas obras mais importantes.  O seu último trabalho monumental, Midvinterblot ( Midwinter, Sacrifício) de  6 metros por 14 metros, é uma pintura a óleo concluída em 1915. Tinha sido encomendado para uma parede no Museu Nacional de Estocolmo (que já possui diversos afrescos que adornam as suas paredes).  No entanto, após a conclusão, foi rejeitado pelo conselho do museu. O afresco representa o Rei Domalde no Templo de Uppsala. A obra foi vendida ao o coleccionador japonês Hiroshi Ishizuka. Décadas mais tarde, após uma exposição sobre Larsson no Museu de Estoclomo, a pintura foi comprada e colocada no lugar para onde foi destinada.

Midvinterblot, óleo sobre tela, 1915 - Museu Nacional de Estocolmo (hall da  escadaria central)
 
Dalkarl com albarda, carvão e grafite sobre papel cinza - Museu Nacional de Estocolmo

sexta-feira, 25 de maio de 2012

"Rolling Stones" e "Star Wars" de parabéns...

Anúncio, The Rolling Stones 1st American Tour 1965 - Mick Jagger; Keith Richards; Brian Jones; Bill Wyman; Charlie Watts - a banda promoveu o álbum The Rolling Stones, Now!
The Rolling Stones a banda de rock inglesa, foi formada em 25 de Maio de 1962, e é uma das bandas mais antigas ainda em actividade. Ao lado dos Beatles, foram vistos como a banda mais importante da chamada Invasão Britânica surgida nos anos 1960. 
O grupo formado por Brian Jones, Keith Richards, Mick Jagger, Bill Wyman e Charlie Watts, compunha as suas músicas no espírito blues. Em cinquenta anos de carreira, sucessos como "Paint It, Black", "Lady Jane", "Ruby Tuesday", "Wild Horses", "(I Can't Get No) Satisfaction", "Start Me Up", "Sympathy For The Devil", "Jumping Jack Flash", "Miss You" e "Angie" fizeram dos Stones uma das mais conhecidas bandas do rock mundial. Durante a sua carreira os Rolling Stones já venderam mais de 200 milhões de álbuns no mundo inteiro.


The Rolling Stones - Paint It Black




Hoje aconteceu... 50º aniversário da banda os Rolling Stones; 35º aniversário da estreia do filme Star Wars.





The Imperial March de John Williams pela Orquestra Filarmónica de Viena. (HQ)

Star Wars ou Guerra das Estrelas, é o título de uma space opera americana que foi transformada  numa série de seis filmes de ficção científica escritos por George Lucas. O primeiro filme da série foi lançado originalmente pela 20th Century Fox em 25 de Maio de 1977 sob o título Star Wars, tornando-se um fenómeno mundial. Foi acompanhado por duas sequências, Empire Strikes Back e Return of the Jedi, lançadas em intervalos de três anos. Dezasseis anos depois da exibição do último filme teve início uma nova trilogia, mais uma vez lançada em intervalos de três anos, com o último filme lançado em 19 de Maio de 2005.

John Towner Williams (Long Island, Nova Iorque, 8 de Fevereiro de 1932) é um compositor americano que foi premiado várias vezes pelas suas trilhas sonoras. É considerado um dos maiores compositores da história, tanto pelo volume de sua obra, como pela sua popularidade. Com 47 indicações, somente Walt Disney concorreu a mais Óscars do que John Williams. A sua obra para cinema é marcada por um estilo grandioso, facilmente reconhecido pelo público.
Além dos seus trabalhos para trilhas de filmes, é conhecido também pelos concertos para fagote e orquestra, para violoncelo, para trompete, para violino, flauta e trompa.
A trilha sonora para o primeiro filme de Star Wars é considerada a melhor da História. 

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Guaches e aguarelas do artista Bob Dylan

Bob Dylan - Festival Rock Azkena, 26 de Junho, 2010



Hoje aconteceu... Aniversário do cantor e compositor Bob Dylan

Bob Dylan (nome artístico de Robert Allen Zimmerman; Duluth, 24 de Maio de 1941), é um cantor e compositor norte-americano, um dos mais importantes artistas dos géneros folk, folk rock, blues, passando pelo gospel.
Nasceu no estado de Minnesota, é neto de imigrantes judeus russos. Aos dez anos de idade, Dylan escreveu os seus primeiros poemas e, ainda adolescente, aprendeu piano e guitarra sozinho. Principiou a cantar em grupos de rock, imitando Little Richard e Buddy Holly. Quando foi para a Universidade de Minnesota em 1959, voltou-se para a folk music, influenciado pela obra musical do lendário cantor folk Woody Guthrie, a quem visitou em Nova Iorque em 1961. Em Março de 1962 lançou o seu primeiro álbum “Bob Dylan”.

Sidewalk Café
, impressão em papel Museu Etching - Colecção 2008

Still Life With Peaches, impressão em papel Museu Etching - Colecção 2008
Ao longo dos últimos quarenta e oito anos, Dylan lançou quarenta e seis álbuns e escreveu mais de 500 músicas. Vendeu mais de 110 milhões de discos em todo o mundo. Foi reconhecido e homenageado com diversos prémios, recebeu um doutoramento honoris-causa em música pela Universidade de Princeton, New Jersey em 1970 e pela Universidade de St. Andrews, Escócia, em 2004. Além de ganhar vários prémios Grammy, ganhou um Óscar em 2001. O seu álbum "Together Through Life», de 2009, entrou nas paradas de sucesso no Reino Unido e América, e traçou Top Five em muitos outros países ao redor do mundo.
Em 2004, Bob Dylan foi escolhido pela revista Rolling Stone, como o 2º melhor artista de todos os tempos, ficando atrás somente dos Beatles, uma das suas principais canções, "Like a Rolling Stone", foi escolhida como a melhor de sempre.
Bicycle, impressão em papel Museu Etching - Colecção 2009
Bicycle, impressão em papel Museu Etching - Colecção 2010
Embora Bob Dylan seja mais conhecido como cantor e compositor, ele é também escritor, cineasta, actor, desenhista e pintor.
Uma colecção de desenhos, realizados a lápis e carvão por Bob Dylan, durante as viagens nos Estados Unidos, Europa, México e Ásia entre 1989 e 1992, foram publicadas no livro com o título "Drawn Blank" em 1994.
Ingrid Mössinger – curadora do Museu Kunstsammlungen, em Chemnitz, Alemanha – ficou agradavelmente surpreendida com o trabalho de Dylan, contactou a equipe do artista e ficou impressionada ao saber que Bob Dylan concordaria em exibir o seu trabalho em público pela primeira vez. Baseado na série "Drawn Blank", Bob Dylan realiza guaches e aguarelas, em várias versões da mesma imagem, utilizando cores diferentes. Faz a sua primeira exposição denominada "The Drawn Blank Series” – aguarelas e guaches - no Museu Kunstsammlungen em Chemnitz, Alemanha, entre Outubro de 2007 e Fevereiro de 2008. Nesta exposição são apresentadas 170 aguarelas e guaches. Devido ao grande sucesso foi prolongada até à Pascoa de 2008.
Man On A Bridge, impressão em papel Museu Etching - Colecção 2010
Motel Pool, impressão em papel Museu Etching - Colecção 2011

Em Abril de 2008, Dylan recebeu uma Menção Especial do Prémio Pulitzer "pelo seu profundo impacto na música popular e cultura americana, marcado por composições líricas de poder poético extraordinário".

Página oficial de Bob Dylan aqui
Train Tracks (White), impressão em papel Museu Etching - Colecção 2012
Train Tracks (Red), impressão em papel Museu Etching - Colecção 2012


Show de Bob Dylan no Brasil 2012